O SEGURO ESCREVEU-ME…

…Mais concretamente mandou-me um MAIL e, sem mais, logo de sopetão convidou-me a “ juntar-me a ele”. Para avançar junto com ele. E eu logo pensei : ora eu que sempre disse aos meus filhos para não irem com qualquer um, para desconfiar de pessoas que não conhecemos que nos convidam para ir com eles, aparece-me logo este a convidar-me a juntar-me a ele. Para que seria, perguntei-me eu…

Mas, logo de imediato, trata-me por “ CARO AMIGO”. E, com certeza na dúvida se eu seria Joaquim ou Joaquina, ainda coloca um “a” entre parêntesis…

O que é certo é que tanta ousadia fez-me pensar e recordei-me daquela música do malogrado António Macedo ( Canta Canta Amigo Canta) em que num verso ele diz : “ Já que me chamas Amigo, prova-me lá que o és…). Recordam-se? E se com os meus Amigos eu me dou a certas liberdades, tanto gestuais como linguísticas, sem que eles me levem a mal, resolvi levar isso mesmo à letra e, por isso, pergunto-te já :  Ó “ bardameco”, onde arranjaste o meu Email? Espertinho, foste ao arquivo das Primárias, não foi? Grande artista me saíste, pá! Então, tal como a qualidade de simpatizante que se anula logo a seguir ao acto eleitoral, os Emails dos simpatizantes não se “deletam” logo a seguir ao envio ao comprovativo de inscrição? Pelos vistos não é, e como aquilo ainda é tudo teu…toca a mandar Emails…Ah. grande “maganão”…

Mas o Email que me enviaste é todo ele um primor de sedução TOZÈ. Para além de, em primeiríssimo lugar me convidares a juntar-me a ti e a tratares-me por “ Caro Amigo” ( e repara que não puseste o meu nome, nem Companheiro, nem Camarada e muito menos V.Exª ou Exmº Senhor) tu logo te empolgas e afirmas que ambos estamos a “ fazer História” e a provocar a “ Mudança do País”! Mas eu quero-te dizer duas coisas TOZÈ: a primeira é que se queres mudar de País estás à vontade, pá. Vai e fica por lá para onde fores. Se queres a Mudança do País eu cá para mim prefiro ficar com este, pá. Para quê mudar o País, pá? Repara : somos um País à  beira mar plantado, com mar e praias, cheio de sol quando não chove, com temperatura amena, com bom peixe e bom vinho, com uma natureza verdejante, com “ paletes” de mulheres, com Fado, com…mudar o País para onde, pá? Passaste-te, foi? Já sabes que não te acompanho nem me junto a ti, pá! Porque insistes?

Mas tu insistes mesmo e entusiasmado logo afirmas que “ sendo esta a hora da mudança, está na hora de pôr fim à teia de interesses que capturou o Estado e de acabar com a promiscuidade entre a política e os negócios “ , não o consegues fazer sozinho e eu tenho que me juntar a ti. Ir junto contigo..

Calma aí TOZÈ. Junto contigo? Já te disse que não e aconselho-te a teres juízo, pá. Eu sei que tu, como não te cansas de repetir, és um tipo de princípios, que ninguém sabe o que é isso mas tudo bem, se o dizes quem sou eu para não acreditar, a não ser que sejas como todos que quando começam algo começam precisamente pelo princípio, e por isso afirmas depois que “ não queres deixar ninguém nas traseiras da vida”. Traseiras da Vida TOZÈ? Isso são princípios?

Mas a tua prosa eufórica continua e já em autêntico delírio afirmas que “ ao longo de três anos construíste, não sozinho claro, um projecto de mudança para o País, com uma visão clara e uma estratégia bem definida sustentada em propostas concretas”. Tens as oitenta, as tais que o outro diz que não passam de seis e meia mas, pensando eu que estarias contentes e essas te bastariam eis que…

…tu me pedes encarecidamente que te ajude. Em quê? Em mandar-te mais ideias e propostas! E para quê? Para que finalmente fiquemos na História! Isso é que é pensar em grande TOZÈ! E queres ficar na História comigo! Isso é coisa de amigo, sem dúvida!

Mas pronto pá, eu até sou um tipo sensível, sinto-te desesperado e angustiado à procura de ideias, as  oitenta pelos vistos não chegam e não posso ficar indiferente a essa tua depressão. Eu quero-te ver a tocar ferrinhos, pá, a cantar ao desafio, pá, a dançar o Vira, pá…e vou mesmo dar-te uma ideia. Uma ideia inovadora e radical, que jamais te passou pela cabeça e na qual nunca ninguém pensou.

Tu queres Mudança não queres? Pois aí vai correspondendo ao abraço fraterno com que no fim do Mail me brindas : TOZÈ, para mudar de vez, sem tibiezas, definitivamente, saltando etapas infindas, aí está a Reforma que devias fazer: VIRAR PORTUGAL DO AVESSO! Sim, pá! Mudar o Algarve para Trás os Montes, Trás os Montes para a Estremadura, O Alentejo para o Minho, a Estremadura para as Beiras Interiores, as Beiras Interiores para o Algarve, o Minho para Espanha…E a Beira Litoral? Essa fica onde está, não se pode mudar tudo, não é?

Tu já alcançaste a dimensão desta Reforma TOZÈ? Terás tu cabeça que abarque esta Mudança? Tu tens princípios TOZÉ : começa pelo princípio, pá!

Mesmo não votando em ti e querendo-te livre desta história, fica com esta ideia para uma próxima…Pá!

Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s