O PORTA AVIÕES DO PORTAS

A UTAO afirma no seu último relatório que o ” Estado aumentou as suas despesas imprevistas”, mais elevadas portanto que as inicialmente orçamentadas e que o aumento da receita fiscal tem coberto estes gastos superiores ao previsto e compensado a menor consolidação da despesa.

Portanto, aumento dos impostos e suas receitas mais a diminuição do custo das prestações e desemprego são “desperdiçados” no aumento da despesa sobretudo na aquisição de bens e serviços e Pessoal.
Mas que Pessoal, podiam explicar? Não serão mais ” Técnicos”, mais Acessores, mais Consultores, mais…”boys”, em suma? Ou não será nada disso?

É que tendo em conta o “desaparecimento” do Paulo, dei por mim a pensar que estando ele agora a acumular três pastas, a de Vice-Primeiro e as de “afectivo” (como por aqui se diz ) Ministro dos Negócios Estrangeiros e da Defesa, não serão as suas constantes viagens à volta do Mundo que justificam este aumento das ” despesas imprevistas”?

Mas que anda ele a fazer concretamente? A espalhar o seu “charme” entre Realezas e Sheiks e entre areias e camelos qual Lawrence de Arábia? Estacionado nos jardins da Casa Branca esperando que aquele cão português lhe leve um recado ao Obama? Andará pela América do Sul, pelo Perú, Colõmbia, Bolívia ou Paraguai a vender as nossas Auto Estradas, Brisas e Magalhães? Será que vai dar uma ajudinha à Dilma? Mas cheira-me que ele andárá agora mais pelo México. O México está na moda, dizem que há para lá negócios sem fim e um ” sombrero” fica na sua cabeça a matar.E no meio de uns Mariachis o Paulo fará furor. E então se vestir aqueles vestidos ” rancheros” e cantar ” La charretera” ou ” Los Laureles” ele, que cá é tu cá tu lá com os lavradores, estará no seu mundo. E negócios? Negócios aparecerão de certeza e é preciso semear para depois colher…

Mas há sempre as contrapartidas, as malfadadas contrapartidas e só querem vender material militar. Já temos Pandur, já temos Submarinos, que nos falta? o Pedro que nem se importa com estes gastos imprevistos pois quer é vê-lo longe, teve que o receber para ouvir a grande novidade: Pedro, Mestre, temos que comprar um PORTA AVIÕES! Como? Diz Pedro. Mas já falaste com o dos Negócios Estrangeiros? E com o da Defesa? Estrangeiros e Defesa? Diz Portas: Eu é que sou! O primeiro ninguém o vê ou ouve e o segundo anda atarefado com o Bes…

Pois é Pedro, Mestre, é uma falha, uma grande falha na nossa estrutura de defesa e faz muita falta. Os Almirantes e os Contra Almirantes, os Generais da Força Aerea e dos que ficam em terra já não se aturam, que não têm que fazer…que ao contrário dos submarinos o Porta Aviões contenta os três ramos : tem aviões, tem helicopteros, tem pilotos, tem soldados e marinheiros, tem obuses e canhões, torpedos e misseis, eu sei lá que mais e…a Espanha tem um!Um colosso! Como é que a Espanha tem e nós, importantíssimo País da Nato, o País Europeu com maior orla marítima e maior plataforma continental, que tem que ser vigiada e assegurada, dada a riqueza que incorpora, não temos? A nossa Tropa diz que está farta de ser colocada em plano secundário naquelas operações patrocinadas pela NATO, onde teóricamente somos bons mas, na prática, nunca lá estamos. Os nossos Generais, Almirantes e Brigadeiros não são chamados para nada e sentem-se abalados no seu ego e em tudo o mais que advém dessa importante e necessária compra… E já viste Pedro, Mestre, o que é passar a pertencer à elite mundial, ao pequeno e restrito número ( dez ou onze) de países que têm Porta Aviões? E vê lá que nem a Alemanha tem. Deve ser por ter pouco mar…

Ter um Porta Aviões, como tem a Espanha, pode ser como o deles de porte médio, é sermos alcandorados ao Primeiro Mundo. Estar em todo o Mundo. Mas não como a Sagres ou a Vasco da Gama que só fazem turismo. Não! Nós vamos intervir nos conflitos, vamos ser dissuasores, vamos deixar a nossa marca e a nossa bandeira. Vamos ser vistos de outra maneira e ganhar o respeito da própria Alemanha que, quando estiver apertada, nos pede emprestado e nos ajudará a integrar o Conselho de Segurança da ONU. Vê lá tu Pedro, Mestre, o que faz um Porta Aviões! E a quem vamos comprar, quem o vai construir e como vamos pagar? Pergunta o Pedro. À China, claro, que também já constroi e sai mais barato e podemos pagar em espécie : damos-lhes a nossas Águas ou outra coisa qualquer…

E como se irá chamar este Porta Aviões? Pergunta Pedro.
Pedro, Mestre, só vejo um nome : SACADURA CABRAL. Leva o meu nome, eu sei, mas é pura coincidência. Ele foi um grande navegador e pioneiro da aviação…simples coincidência.

Está justificado o aumento das tais despesas imprevistas, as tais que o aumento dos impostos que pagamos compensa : é o sonho do Paulo. por isso ele anda desaparecido e vive viajando, viajando…mas por uma causa nobre : levar o nome de Portugal mais o de Sacadura Cabral a todas as partes do mundo…

Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s