AS REFORMAS e as reformas.

Não não é dessas reformas que eu vou falar dessas que todos querem e eu também dessas que muitos têm há muito e eu com muito mais tempo do que eles tinham ainda não tenho embora qualquer dia com o tempo de descontos que tenho já dê para quase duas das que esses tiveram com o tempo que tinham

Não é dessas que muitos têm porque as empresas onde trabalhavam estavam depenadas de guito e resolveram mandá-los para casa pagando-lhes com o dinheiro que não tinham e que o Estado que dizem que é de todos nós lhes deu e eles lá foram coisa que não acontece com outras empresas onde às tantas também lhes faria jeito mandar para casa muitos mas essas teriam que lhes pagar com o dinheiro que tinham e que lhes faria falta para outras coisas como comprar matérias primas por exemplo e a essas o Estado não dá porque têm dinheiro mas dá às outras que não têm e mesmo assim pagam Conseguem compreender interrogação

Onde é que a CP vai buscar dinheiro para mandar pessoal para casa e dar-lhes balúrdios para irem para o desemprego isto é pagar-lhes os ordenados que faltam até irem para a reforma com o dinheiro do Estado que dizem que é de todos nós e depois pagar-lhes ainda o subsidio de desemprego até irem para a reforma e eu que de contas sei o suficiente digo mas que grande negócio que grandes gestores são esses gajos

Como os Bancos que mandam os gajos embora com cinquenta ou picos e pagam à Segurança Social o remanescente até à tal idade deve ser outro balúrdio mas será que pagam mesmo agora pergunto eu depois a Segurança Social paga-lhes a reforma e os gajos contratam aquela rapaziada a recibo verde ou contrato precário que o Estado subsidia de modo a compensar a perda de emprego provocada por essas reformas antecipadas que não são possíveis mas afinal são e eu volto a afirmar que grandes gestores são estes gajos

E depois esses gajos todos que deixam de trabalhar quando deviam era dar no duro para levantar esta gaita desta coisa toda que está um deus dará mas que os gajos agora intermitentemente dizem que está um brinquinho para ver se a gente os deixa lá estar para depois virem novamente dizer que afinal não está com os dados que tinham parecia-lhes esses gajos todos dizia eu andam agora para aí a romper esquinas e muitos deles a falar mal dos malandros que querem ir para a reforma porque já têm o tempo todo mas não têm idade

E enquanto rompem esquinas uns tantos dizem que os sacrifícios eram inevitáveis e estes gajos é que nos tiraram da banca rota querendo talvez digo eu referirem-se à banca toda rota que com o dinheiro do Estado que dizem que é de todos nós os mandou porta fora para romperem esquinas e que com estes é que se está bem pois isto de romper esquinas deve ser um privilégio e eu ainda há dias encontrei um amigo meu nos CTT e perguntei-lhe então de férias aqui e ele disse-me que já estava há três meses de férias pois foi mandado porta fora para a reforma e é muito mais novo que eu Que bom disse-lhe eu

Não é dessas reformas que eu vou falar nem daquelas que os gajos forçam porque andam a privatizar a toda a força para mandarem aqueles gajos todos os que eles dizem que desequilibram as contas borda fora para romper esquinas e passar dias inteiro a jogar cartas nos jardins enquanto outros dão de comer aos pombos e deixarem a empresa limpa para venderem por tuta e meia e depois terem que pagar as reformas a esses gajos todos que mandaram porta fora para romper esquinas e eu já nem sequer me dou ao trabalho de dizer que grandes gestores são estes gajos O resultado é que o Estado que dizem que somos todos nós lhes fica a pagar essas reformas e os gajos da empresa limpinha contratam os tais gajos a recibos verdes e pagam-lhes uma ninharia e ainda vêm os dos cursos profissionais que são pagos pelo Estado que dizem somos todos nós Mas os gestores ficam se não ali acolá

Esses gajos gestores que dizem que o estado é mau gestor quando os gestores foram sempre eles sim esses gajos todos que depois saltando também borda fora são supinamente bem recompensados por todos aqueles tempos em que o estado foi mau gestor mas os gestores foram eles mas o salto deles foi curto pois logo o estado lhes arranja outro poiso onde vão ser igualmente gestores de um Estado que é mau gestor e os tem a si como gestores até ao dia em que dão mais um salto porque o estado vai vender porque a coisa era mal gerida e como prémio paga-lhes a competente e contratada indemnização e a reforma antecipada merecida dizem eles por serviços prestados ao Estado mau gestor Descontaram aí uns cinco anitos e vão porta fora com mais uma reforma e dizem que é o estado de direito que dizem que é de todos nós mas eu devo estar no lado oculto do mesmo

Eu não ia falar disto mas aqui já há reformas antecipadas porque dizem eles foi assim contratado e os contratos são para se cumprir estamos num estado de direito e se alguns já vão em três reformas e ainda vão para um lugarzito à sua espera numa dessas empresas vendidas era porque fazia parte do contrato e os contratos são para cumprir porque estamos num estado de direito

Nesse estado de direito onde eles vivem e também vivem os que rompem esquinas que dizem que este é que é o estado possível pois foram estes que nos resgataram da banca rota e nos recuperaram a soberania perdida e que votar noutros é estragar tudo o que foi conseguido com o sacrifício de todos os portugueses

Eu não ia falar destas reformas nem da filha da puta da reforma que eu ainda não tenho com tantos anos de descontos como a idade com que muitos deles foram para a reforma mas no fundo até estou a ser talvez injusto porque a culpa não é deles mas mesmo falando deles não é deles que eu quero falar mas sim deste filho da puta deste sistema que os faz ser rompedores de esquinas satisfeitos com a sua vida de rompedores de esquinas essa figura de retórica que o estado permitiu instituir para dar cursos de formação a centenas de milhares de jovens e empregos precários e fazer deles trabalhadores suficientes para as estatísticas de emprego

Não era destas reformas que eu ia falar era das outras Reformas as Estruturais as sempre eternas e nunca conseguidas reformas estruturais as tais que já foram todas feitas mas estão sempre por fazer e são sempre reclamadas e depois prometidas e depois de prometidas diz que feitas mas que os gajos que emprestam o guito os tais credores dizem que estão por fazer e mesmo depois de feitas dizem os gajos estão sempre por fazer porque dizem os outros gajos os tais que emprestam o guito nunca são suficientes fiz-me entender e aqui tem ponto de interrogação

E aqui chegados é que eu me dou conta do quanto velho estou apesar de ainda não reformado e não se riam é verdade porque eu sou do tempo como se costuma dizer em que quando se falava de alguma Reforma isso pressupunha que se estaria a falar de algo que estabeleceria regras e conceitos sobre alguma coisa concreta que sendo abrangentes e adaptados ao tempo e às condições económicas levassem a um amplo e duradoura acordo acerca do seu funcionamento Era assim que se entendia ser uma Reforma e poderíamos falar da Reforma da Educação da Reforma da Saúde etc e essas Reformas Estruturais porque das estruturas ou alicerces do sistema se tratava estabeleciam bases concretas para um desiderato que seria sempre um melhor serviço em condições mais estáveis e duradouras Agora estou a falar a sério

E claro que não haveria nenhuma Reforma Estrutural que pudesse ser eterna mas o pressuposto da prévia quantificação do seu custo para a aceitabilidade da sua bondade e da confirmação da sua durabilidade era precisamente o que fazia dela “ Estrutural” e não avulsa ou conjectural e continuo a falar a sério

Essas Reformas Estruturais teriam sempre por base os eixos principais de qualquer governação e da estrutura de um País e esses eixos nunca deveriam ser objecto de um alterar contínuo dos seus pressupostos conquanto eles mesmos seriam o sinónimo da estabilidade de um País com algum desiderato de boa governança a saber a Educação e Saúde como já disse a Defesa a Segurança Social e toda a política social aí inserida a Definição do Território e outros aspectos identificadores de uma Nação e tratando-se de pressupostos maioritariamente aceites teriam que ser estáveis no tempo e não sujeitos em democracia ao livre arbítrio de qualquer força política que o poder tomasse A sério ainda

Era isto que eu entendia à minha maneira como Reformas Estruturais mas na verdade esse conceito que eu achava certo banalizou-se abandalhou-se mesmo e passou a ser moda todo e qualquer governo querer fazer as suas reformas como que querendo deixar a sua marca e no final e invariavelmente gabar-se de as ter feito as tais reformas que dizem que os outros não fizeram e estes juram que fizeram e os outros é que as desconfiguraram

E tudo começou com Cavaco que naquela década em que desgraçadamente foi PM disse ter feito todas as reformas necessárias para aí umas dez não tendo ficado nada por fazer mas que ninguém sabe bem quais foram dada a sua imediata volatilidade a não ser as que ficaram tristemente na história como as da Agricultura e Pescas que os seus ainda dizem que isso sim foram reformas mas que eles logo a seguir no poder se encarregaram de mandar para canto e fazer as suas essas sim as verdadeiras embora as do Cavaco essas é que sim dizem eles mesmos sem saberem bem quais foram

E todo e qualquer governo diz o mesmo e todos os governos têm a sua reforma da educação e acabam os exames voltam os exames turmas pequenas turmas grandes mais professores menos professores horário alargado horário diminuído na Saúde a mesma coisa são precisos mais médicos vêm mais médicos vão embora os médicos têm que ir para o interior eles vão e depois deixam de ir vão mas é embora acabam-se os pequenos hospitais fazem-se centros de saúde não funcionam volta-se aos hospitais não há médicos que merda tira-se um ano ao curso mas depois eles vão para malfadada reforma e depois são novamente chamados porque se o outro prometeu aumentar o atendimento em mais cem centros de saúde eu prometo em quinhentos e depois a merda das urgências se não há médicos em nome da racionalidade o que se faz contrata-se naquelas empresas onde os gajos estão à espera de ser contratados a recibos verdes onde pagam iva irs segurança social e tudo a quanto à hora uma merda dizem eles isto tem que acabar dizem os que querem ir e agora é que vão resolver o problema dizem os que ainda estão e querem ficar

E todo o mundo passou a falar de reformas até que as reformas se transformaram em cortes e perdas de direitos Quando se fala na reforma das leis laborais é para despedir rápido e perder direitos faz-se a reforma está feita dizem eles mas vem o FMI e diz não não estão o caraças é preciso mais e repete a Merkl a Lagarde e todos que há muitas reformas por fazer que tem havido progressos em quê pergunto eu só se for nos cortes concluo e tenho razão porque eles vêm cá dão o seu acordo e depois querem mais reformas mais reformas e sempre mais reformas

Um gajo fica empanturrado de reformas é o que é e que o digam os Gregos os gajos resolveram fazer mais um resgate um resgate para resgatar o outro resgate que já tinha sido resgatado por outro resgate o tal que resgatou a banca que se fartou de mandar para lá guito e foram clamar à Merkl que era uma desgraça e foi aí que o resgate se deu e deu-se com um batalhão de reformas as tais que lhes tiraram tudo Eu sei que ainda ficaram ali umas reformas antecipadas dizem que ficaram e por isso agora no novo resgate vem mais uma infantaria para não dizer outra vez batalhão de reformas pois as feitas não são suficientes e os gajos ainda têm algum toucinho têm os que ainda não se atiraram à linha do metro ou se penduraram num poste de electricidade

As tais reformas que se travestiram em progressos para a perda sempre de algo mais

Eu nem pontuação pus para não dizerem que também aderi à tal reforma a que chamaram acordo ortográfico Uma ova

Tristes reformas

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s