EMIGRANTS FIRST?

Eu, ultimamente, tenho passado o meu tempo de pensar, sem pensar em nada. Unicamente a ver, a ouvir e a ler, como dizia a Sohpia, o que resume e define a única maneira de não ignorar.

E porque é que não tenho escrito? Porque estou numa de “wait and see”! Isto é :perante tantas dúvidas e sombras que se levantam eu, que tenho passado o tempo observando e nada pensando ou opinando, dou por mim a pensar que qualquer coisa que eu diga ou alguém diga, mesmo que perentoricamente, como alguns fazem, não passará nunca de uma pequena parte da  verdade ou da suposta verdade.

Por isso eu, como disse, não tenho pensado noutra coisa que não seja pensar em nada! O que não quer dizer que não esteja atento ou deixei de ter opinião. Tenho é mais dúvidas, essencialmente acerca do futuro desta pobre humanidade. Mas só dúvidas, que não crença…

Mas perguntar-me-ão, e com toda a propriedade, o que significa então, perante este introito, o título do texto?

Ele pode parecer descabido e contra a corrente mas, se não desistirem de o ler, vão reparar que não o é. E então reparem:

Trump resolveu promulgar uma lei que restringe enormemente a entrada de estrangeiros nos EUA. Poderão dizer que são só de sete países mas, ainda hoje, ouvi na TV que um ex-primeiro ministro da Noruega foi barrado porque…tinha ido ao Irão. E eu pensei imediatamente: razão tinham os Cubanos quando em 2003, ano em que fui a Cuba, não me carimbaram o passaporte! Na altura eu perguntei porquê e o funcionário, amigavelmente, disse-me: quer ter problemas se algum dia quiser ir aos States? Fiquei apalermado, como poderão facilmente concluir.

O que quer dizer que todos os passaportes passarão a ser objecto de rigorosa análise e motivo de dúvida: que foi este tipo fazer ao Irão? E ao Iraque? E ao Yemen? E à Somália? E….a Cuba? Portanto…entradas controladas, para não dizer controladíssimas.

Mas, sabendo serem os EUA um país feito de emigrantes e por emigrantes, quanto mais não seja na sua génese, mas não é a isso que me refiro, das mais diversas origens e nos mais variados sectores de actividade, existe um, o da “intelligence”, onde os EUA dependem e sempre dependeram da Emigração!

E eu vi hoje no Facebook um vídeo em que um Físico Teórico, nascido nos EUA, mas de origem Japonesa, chamado MICHIO KAKU, que diz preto no branco aquilo que muitos suspeitavam, mas que nunca afirmaram com tanta clareza: Os EUA dependem dos emigrantes para todo o qualquer tipo de trabalho, inclusive e nomeadamente na investigação científica de ponta. Donde conclui que, sem os emigrantes, a América não funcionaria. Porquê? Por causa do programa de vistos H-1B, que Trump quer rever e que, não passando da expropriação da capacidade intelectual dos outros países, e que em 2014 atingia o número de 315 mil, sem eles a economia dos EUA tenderia a colapsar.

E diz mais: o sistema educacional dos EUA está ao nível de um terceiro mundo. E assim sendo, porque não entra em colapso? Por causa dessa arma secreta, o tal H-1B, o tal visto a “génios” e que, se forem embora, farão desabar a ciência nos EUA.

E se eles voltarem para a China, para a Índia, para Portugal, para…e lá formarem os seus “ Silicon Valleys”( Vales do Silêncio, como diz a peça)? Os americanos poderão ocupar o seu lugar?

Essa é a pergunta que se vai pôr e, tenho para mim que, a procissão ainda vai no adro…

Depois dos “Americans first”, veremos os (good) Emigrants first?

Vai deixá-los sair?

Vai proibi-los de entrar?

Será que vai acabar Trump por lamber a trampa que vem fazendo? Wait and see…

Advertisements
Standard

One thought on “EMIGRANTS FIRST?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s