O EFEITO “do” CENTENO…

É da nossa natureza perdoarmos mais depressa tudo aquilo que não nos agrada e, quiçá, até nosso fere que é dito ou escrito por aqueles com quem divergimos do que por aqueles por quem, mesmo que nem sempre neles tudo nos agrade, nutrimos simpatia porque, filosoficamente, se regem pelos nossos mesmos princípios. Somos com estes mais exigentes, em suma.

Por isso mesmo vou muitas vezes “ aos arames” com o Daniel Oliveira, pessoa e pensador por quem nutro admiração intelectual porque, estando em muitas frentes na comunicação e nos Midia, na sua permanente intenção de, fazendo quase o pleno, manter uma certa equidistância com todos com quem debate, dando uma no cravo e outra na ferradura, porque, quer queira quer não e por muito que lhe custe tem que emitir opinião, pois para isso é pago, não é capaz de manter uma linha orientadora no seu discurso e, por isso, perde-se imensas vezes no politicamente correcto.

E, depois, mesmo que no fundo o não deseje, vê-mo-lo a abraçar causas que a Direita não desdenha e a tecer considerandos sobre dirigentes e governantes que toda a Esquerda elogia e tem como dela, mas que ele, talvez prisioneiro de anteriores e mal fundadas teses, teima em manter opinião coincidente com a da Direita. Como com Mário Centeno, por exemplo!

Não vou voltar às polémicas que com ele tive e foram aqui publicadas, mas tenho que recordar aqui aquela que aconteceu há uns anos a propósito de um tal Domingues que iria salvar a Caixa e se meteu em infindáveis engenhocas com mensagens e contra-mensagens até ao seu irrevogável desaparecimento. Nessa altura, perante alguma tibieza do Ministro, chamou-lhe de “nabo” em política e afirmou que só estava no Governo para prejudicar Costa!

É claro que isto está-lhe colado à pele como indelével marca e, pela minha parte, sem qualquer instinto sádico, sempre lho recordarei até ele ter a hombridade de fazer mea culpa, o que ainda não sucedeu…

Pois, se não o fizer, terei que o colocar no mesmo espaço desta animosidade para com o Ministro das Finanças com um tal de João Vieira Pereira, que ainda há pouco tempo, sendo nomeado Director do Expresso, me escreveu dizendo que “agora que era Director do Expresso” eu o deveria acompanhar e ler e, portanto, dada a elevação de valor que isso me acrescentaria, teria que assinar o Expresso…

Mas este triste e vetusto economista, mesmo que ainda relativamente jovem se mostra dos tempos do”laissez faire laissez passer”, como também do “o mercado tudo regula” da escola de Chicago do Friedman, lá porque foi nomeado Director do Expresso , acha-se mesmo muito e julga que nós, eu inclusive, dele bebemos algo de puro e bom…Ledo engano!

E este presunçoso economista teve o desplante de escrever, logo na segunda página do Expresso desta semana, um artigo chamado “ O efeito Centeno” e que eu, para que não tenha que o transcrever na totalidade, apelo a que o tentem ler…

É que, apesar de ser um pequeno tratado sobre o que é desonestidade intelectual, ele é, igualmente, um tratado sobre outras coisas mais prosaicas e simples como: a dor de corno, a inveja, o rancor e a sem vergonhice! Isto tudo, sem tirar nem pôr e onde, lamentavelmente, o Daniel Oliveira aceitou se emiscuir…

Mas que diz ele, afinal? Nota: os sublinhados a negrito são meus!

Diz: “Não vou investir (!!!) mais tempo a escrever que Centeno teve todas as condições para fazer a diferença e não o fez (!!!)! É um facto (Diz ele)! Há oportunidades que não se repetem…e acrescenta: “ não vai ser mais possível aumentar a carga fiscal (como se o pouco ter diminuído fosse o mesmo que ter “violentamente” aumentado!) e os juros da dívida não vão descer mais (como se isso tivesse sido obra do acaso…) e a economia mundial até já está a arrefecer…( mas quando é que ela realmente aqueceu?). Repito: os sublinhamos a negrito são meus!

Ora do exposto se conclui que, para este distinto economista e colunista, daquilo que ele chama de Efeito Centeno surtiu zero, nada! Brilhante conclusão, sem dúvida!

Mas este Vieira Pereira ainda acrescenta, e eu cito porque fazia realmente falta este acrescento e sem ele, devo confessar, o texto do Vieira nunca seria o que é: “…Nem interessa que em quatro anos este Governo não tenha feito uma reforma. Uma que possa exibir com orgulho, uma que deixe uma marca positiva para as próximas gerações.Nada!”.

Como eu disse, este texto nunca seria o mesmo se o colunista economista não falasse das “reformas”. Essas reformas que vão sendo feitas e estão sempre por fazer! Que foram definitivas com o Silva e logo ultrapassadas. Decisivas com a dupla Gaspar/ Coelho e logo ultrapassadas pelo Troikismo! O “Bieira” fala, fala mas…qual reforma? Nem uma cita? Que pobreza Sr. Director, economista e colunista! Não tem “umazinha” para citar: só atoarda para o ar…

E o colunista e economista, para além de director do Expresso ainda acrescenta, coincidindo aqui também com o Daniel Oliveira, ele igualmente colunista do Expresso ( só não tem ainda uma “pluma caprichosa” porque as plumas são mais para mulheres), que acredita pouco no génio político do Centeno ( já que do económico estamos falados…acrescento meu…) já que, isso sim, acredita muito mais no génio político do Costa…

E eu aqui não me ri não senhor! Fiquei foi perplexo perante tanta habilidade argumentativa deste génio das colunas. Ora vejam: financeiramente Centeno foi zero! Um “nabo” como referiu o Daniel Oliveira, irmão do Gusmão, já agora! O efeito de Centeno nulo, óbviamente, como o irmão do Gusmão não pára de dizer…

Génio Político? Isso é o Costa, como ambos e dois pensam, aliás três porque o Gusmão, irmão, também pensa assim…

Standard

CHOCADO, ASSAZ CHOCADO ME CONFESSO…”

E tão chocado estou que nem à arte da pontuação me dou

Vocês por favor ouçam-me e sigam o meu raciocínio que eu já estou que não posso Neste momento nem é pelo choque fiscal do Rio de que a seguir vou falar e que quando anunciado foi notícia e quando explicado deixou de o ser vá-se lá saber porquê mas é pelas séries e filmes que sou obrigado a seguir porque agora futebol não há e a política entrou de férias

É que estou mesmo a ficar farto e a entrar mesmo em desespero pois vejam só Na CSI de Los Angeles os quatro são sempre os mesmos já que mesmo sendo sempre barbaramente baleados nunca morrem na série está bom de ver só a pequeninha e fibrosa Hetty de vez em quando desaparece mas sempre volta para beber o seu estupidamente velho whiskie e até a Ruah é uma grande pistoleira pelo que eu digo como morrer e aqui façam o favor de imaginar uma interrogação

Mas não é só nesta também na de Honolulu pois não sei como se escreve A VAI na de New Orleans na de Miami e até na de Chicago PD que não sei o que significa pelo que vou à terças seguindo o Dr Bull que só uma vez perdeu ganhando a excelente VIS a VIS que se passa numa prisão de mulherame da pesada e a Rainha do Sul ambas nas noites de quinta esta onde o nosso Pepe Rapazote é chefe de um gangue precisamente na cidade do Luisiana e a Teresita é boa como o milho

Mas como aí sim aí morrem como tordos e eu que não fui nem à tropa nem à guerra e nunca fui mercenário pois nunca numa canhota eu toquei já estou a ficar farto de tanto tiro a brincar e de tanto sangue a jorrar e isso deixa-me até deprimido mesmo sabendo ser tinta Mas eita gente acabei de ler em mais um expresso mas este o Dinis que ainda há bem pouco tempo era Público uma notícia que incompreensivelmente ninguém sequer aflora a de que o Chefe dos Militares quem será ele está a perder a esperança e que a situação é insustentável pois faltam seis mil efectivos

E eu que nunca peguei numa canhota e já fiz seis capicuas fiquei a pensar Calma pá que a tua reserva já caducou bem perto das quatro e portanto não tens que temer É que nem na prova de tiro ao boneco passavas Mas onde se vão arranjar esses tais de seis mil se nem para a indústria gente há O brasileirame todo que está a fugir do calor dos trópicos chega e vai de imediato para a Restauração e quem sobra pergunto eu de modo que temo mesmo que o País do mundo que mais Generais tem estes tenham que investir de peito aberto tal como D. Quixote não sobre um suposto inimigo mas para a sua apetecida reforma dourada por falta de tropas

Mas que fazer Tenho os Telecines todos o Hollywood a repetir sempre os mesmos filmes os AX ENES o Crime e o outro o AMC que me lembra sempre o nome do meu Chefe e os FOX todos e até recebi hoje um Mail da NOS a dar-me os parabéns pois vou continuar a ter o NOS STUDIOS grátis e como fiz anos na sexta e foi a minha sexta capicua eles presentearam-me com o Arranha Céus duas vezes E eu até me perguntei Mas aquele artista com dois de altura e um de largo é mesmo perneta Perguntei-me porque a ser perneta é um excelente perneta e até aquele suplemento de perna é bem útil Três obrigatórios pontos que até admiração podem ter

De modos que de tão aborrecido e antes de ir uma semaninha de férias resolvi escrever-vos esta declaratória missiva de respeito para com a língua Portuguesa e com o acordo ortográfico não utilizando pontuação e até já sou reincidente Por mero respeito isso mesmo pois assim não erro nas vírgulas e para exortar a que procurem e leiam e basta digitar no Google pois ele já há muito me conhece um texto que eu também escrevi à Saramago e que se chama As Reformas e a reformas Pronto escusam de ir pois aqui vai o Link https://wp.me/p4c5So-wg

Leiam que é muito giro e agora vou finalmente falar do tal choque do Rio não aquele choque que nós sabíamos e até dizíamos que choque que eu levei e ou era mesmo eléctrico ou era o do cotovelo que até dói tanto como o outro mas aquele a que chamam de fiscal

Quando foi anunciado sem ser devidamente escalpelizado eu fiquei tão chocado que até escrevi no SER-SE SÉRIO em política que aquilo não era Ser-Se Sério Mas a verdade é que para lá da empolgação do Expresso Costa que escreveu não interessa o que ele Rio falou interessa é que finalmente falou só um outro Expresso colunista tentou entender mas chegou à conclusão que aquilo só mesmo com o alinhamento dos astros todos durante anos e com o tal multiplicador ali tão concentrado como se estivesse a fazer yoga

E fiquei mais chocado ainda pois ninguém mais falou do raio do choque até que o Rio descobriu onde realmente estava o problema na Saúde e que o problema estava no nome do ministério vejam só Que para não se chamar da Doença em vez da Saúde porque só recorremos à saúde quando estamos doentes e ele com aquela perspicácia que os seus lhe reconhecem pegou nuns óculos e arranjou a solução Ministério da Promoção da Saúde E isto sei eu ele foi beber àquela Tia de Cascais que um dia disse que estar viva era o contrário de estar morta E Rio não mais se esqueceu desta frase O estar doente é o contrário de estar com saude

Não ouvi mais mas não custa adivinhar um Promoção da Justiça um outro Promoção da Defesa ainda o da Promoção da Educação o da Progressão das Polícias e um outro este especial e inovador para a promoção das Ordens dos Médicos e Enfermeiros a Ministérios e assim numa Bolsonarização importada desse extraordinário exemplo Brasileiro nomeá-los embaixadores nos esteites do trampa Como se diz agora e uma colega farta-se de repetir Chorei

Só não morri com o choque pois tenho coração forte E ainda queriam que pusesse vírgulas … mas três pontinhos ainda ponho mas muito chocado

Standard

O “NEGÃO” e o “VOODOO”…

Quando em momentos de alguma curiosidade proporcionados pela susência de outros motivos de melhor interesse, cansado de assistir impotente ao caminho para onde estes actuais estadistas, e apenas porque representando Estados, levam a nossa Europa e o Mundo eu, à escala micro, observo como vai e como se faz a política aqui neste cantinho à beira mar plantado, e assisti, feito há muito não ocorrido, ao debate sobre o Estado da Nação!

À escala micro, disse eu, pois não me apetece falar nem sobre tresloucados Trumps, sobre incompetentes Mays, sobre palhaços Bolsonaros, inconsequentes Macrons, nem sobre intermitentes Merkels, nem tão pouco das tão pouco edificantes negociações que levaram às partilhas dos poderes na Comissão Europeia, apesar de saber não ser dispiciendo para tal cenário tudo o que essas cabecinhas pensadoras decidem…Mas é macro e o macro não me seduz!

Porque aqui, neste jardim à beira mar plantado, onde tudo parece abundar, tudo parece afinal faltar! E foi por isso que o “Negão” (no Brasil é assim que chamam a um negro, assim como a qualquer Carlos chamam de Carlão e a Felipe de Felipão, pão, pão…), esse mesmo que eu bem vi, disse espumando de raiva dirigindo-se ao calmo Costa que o PPD ia ganhar as eleições. E disse-o também de ameaçador dedo em riste e possesso como que ameaçando: nós vamos ganhar e tu vais pagar! E porquê? Por causa da maior carga de impostos de todos os tempos que, ao que parece, ninguém sente, excepto eu!

Mas também pelo tal “caos” nos Serviços Públicos que, ao que parece, também só alguns sentem e eu não sinto nem sente o Hospital aqui ao meu lado! Mas ele, que na Saúde só vai aos Privados, munido de vários cartões tais o dos Serviços da Justiça para uma coisas, o da ADSE para outras, o do Seguro da Assembleia em todas, uns de cada vez ou todos em conjunto para, no fim, em vez de pagar quiçá ainda receber, será?, diz que há e só não vê quem não quer…

Mas ele, como todos esses situados no lado bom da vida, quando alguma coisa mais grave acontecer ou aparecer, a si ou a algum dos seus, o que fará? Irá imediatamente para o Publico, recomendado e encaminhado pelo seu particular Médico que, desta vez, por uma questão de precaução e aviso, o quer no Público. Onde nem se sentará esperando vez e muito menos irá para uma daquelas listas de espera que o seu PPD, que votou contra tal Sistema, o de todos, diz que tem que melhorar…mas para eles, os que não vão para as listas de espera…e pois é!

O meu estimado “Estátua de Sal” perguntou-lhe com corrosivo humor o que andaria ele a fumar! Eu não sei se ele fuma ou não mas aquele seu aspecto no debate não me cheirou bem…hummm…Aquilo para mim ou é feitiço encomendado e fracassado ou a tentativa “voodoo” falhada. Tanta espuma não é normal… ou foi o Rio?

É que o Rio, igualmente ao arrepio de qualquer senso ( é que nem bom nem mau, se me entendem…) desatou a convidar jovens para cabeças de listas e, se já não bastasse o “vodu” ( é igual) falhado, vê saltarem para um esquisito limbo muitos dos seus já revoltados indefectíveis e, quer-me parecer, o “Negão” não afastará da sua ideia a ida a um “Terreiro de Santo” na Baía rezar a um qualquer Oxum, dançar um Condomblé e meter-se mar a dentro levando um ramo a Iemanjá, para que o feitiço atinja o Rio, esse blasfemo.

O mago do “Marketinguismo” que contrataram bem sobre ele descarregou: então o Senhor dirige-se naqueles modos quase tribais ao Sr. Primeiro Ministro? E em vez de lhe dizer que vai ganhar as próximas eleições, que muito simplesmente vai ganhar, ameaça o coitado espumando de raiva, com as veias pescoço quase a rebentar, tresloucado e sem mesmo saber o quão perigoso isso é? Que ficaram a pensar de si?

É que, ó homem, você para isto não tem mesmo jeito nenhum e olhe-me só para o que estamos fazendo. O nosso “ slogan”, não sei se já alguém lhe disse, é: “ O que Portugal Precisa”! E do que precisa Portugal? Ui, de muita coisa, respondeu o “Negão”!

Eu vou-lhe dizer e se ainda não viu veja os cartazes: “Portugal precisa de menos listas de espera”. Eu disso não preciso, diz o “Negão” graças a Deus. “Portugal precisa de mais e melhores Creches públicas”. Mas eu disso também não preciso pois os meus netos mal nascem vão logo para Colégios, ora…

Portugal precisa é de uma bancarrota, diz o “Negão”, pois senão…lá teremos que aguentar o COSTA, pois esse nem em Brasileirez e muito menos em “Brahmin” alguma vez será costeleta!

Standard

SER-SE SÉRIO (em Política).

Até pode ser que não vivamos no melhor dos mundos, e não vivemos, muito embora eu pense que tudo quanto se ouve e lê não corresponde minimamente ao que se sente.

Isto é, o discurso do “caos” nos Serviços Públicos e o da “maior carga fiscal de sempre” tão propalado por toda a Direita e dito publicamente por tudo quanto é comentador arregimentado, não corresponde ao que na realidade se passa e não configura outra coisa que não uma mentira tão repetida que, sendo também repercutida por toda a comunicação social, pretende transformar-se em verdade.

É uma velha táctica de uma Direita que, não tendo qualquer plausível tese a contrapor, fazendo uso da sua também já histórica falta de escrúpulos, quer fazer crer aos incautos que aquilo que lhes dizem ser um bom Governo não passa de uma união familiar de incompetentes que não sabem investir, e só a Direita o sabe, dizem eles, e que, em nome de um défice zero, deixaram os Serviços Públicos destroçados e basta ver as greves…

Mas não vou aqui falar dessas greves cirúrgicas e de classe por ela (Direita) fomentadas, pois até o menos esclarecido politicamente o sabe ler, mas fazer um pequeno exercício acerca do que seria a realidade, a verdadeira realidade, se este Governo não tivesse seguido a política económica e financeira responsáveis que seguiu!

Vamos então supor que, segundo o douto raciocínio da Direita (Manuelas e outros eles…), o défice em vez de ser próximo do zero se situava nos 1,5%, por exemplo. O que teríamos então?

Desde logo uma situação de incumprimento das regras Europeias e as consequentes sanções; a perda de fundos comunitários e seu imediato reflexo na redução, aqui sim, do investimento; a desconfiança dos mercados e, sem contemplações, os juros mais altos; o inevitável selo de incumpridor e a decorrente perda de credibilidade e, mesmo, da capacidade conseguida de influenciar…

O conseguido por este Governo nestes quatro curtos anos é tão notável que até tendemos a esquecer o “mundo” da mentira com que o anterior governou e a tristeza franciscana em que o deixou. E não deixa de ser caricato que, quem nos deixou no pior dos mundos, o anterior Governo, exija que este Governo nos deixe no melhor dos mundos…Não vivemos naturalmente no melhor dos mundos mas vivemos num País incomensuravelmente melhor quatro anos passados…

Quem nos trouxe apenas a austeridade como promessa de uma redenção futura, tal qual uma duradoura penitência como  a via para se alcançar alguma etérea benção, nunca aceitou que este Governo, sem essa austeridade e antes pelo contrário, tenha obtido a recuperação da dignidade pátria e alcandorado o nosso País e o nosso Povo ao estatuto da admiração externa, em apenas quatro anos!

O Défice a tender para o zero; saldos primários positivos; superávites nas contas públicas; juros negativos a curto e médio prazo e já próximos do zero a longo prazo- dez ou mais anos (já equivalentes aos espanhóis e inferiores aos italianos) e outras coisas mais, para lá de tudo o já enunciado, trouxeram como resultado uma poupança gigantesca em juros que, com outra política, nomeadamente a da Direita, só poderia ser compensada, e novamente, por cortes nos salários e pensões ou aumento de impostos como sucedeu naqueles anos tenebrosos do seu governo, o de Passos Coelho…

Mas o que é, então, SER-SE SÉRIO? Em Política é, muito naturalmente, fazer o que se prometeu e não o seu contrário (como fez Passos Coelho); é prometer o exequível; é ser-se sensato e rigoroso e é dizer a verdade! Tão simples quanto isto!

António Costa chamou e anunciou uma equipa de Economistas que redigiriam um manifesto económico de suporte às políticas anunciadas ( relembro que baseadas no aumento do consumo como pedra basilar para o crescimento e consequente recuperação), equipa essa dirigida pelo futuro Ministro das Finanças- Mário Centeno, e tanto ele como essa equipa cumpriram o que prometeram e, ainda por cima e muito bem, com resultados que nem nós esperávamos…Foram Sérios!

Ora o que anuncia, para já, Rui Rio? Uma tremenda redução de impostos (três mil milhões, julgo ter lido…); um equivalente aumento do investimento público e, pasme-se, tudo isto com um excedente orçamental!!! A teorização da “quadratura do círculo” ou a descoberta de que a “terra é mesmo plana”, será?

A insuspeita Constança Cunha e Sá, com muita graça, escreveu no seu Twitter: “É isso que Rio quer, não é? Já eu, só quero ganhar o Euromilhões!”.

Eu direi de outro modo: Isto é NÃO SE SER SÉRIO…

Standard

E GRÁVIDA NÃO TEM FÉRIAS?

Os Médicos sim!

Assim deveria acabar a frase que dá título ao texto, muito embora eu até pense que, pensando bem, todo o casal que premedita um filho deveria fazê-lo contando com isso mesmo: o problema das férias da maioria do pessoal do SNS nos meses do Verão, principalmente o Médico!

Isto é: fazer um filho nos meses de outono só mesmo por acaso dos acasos, porque o calor aqui não ajuda ou por esquecimento da pílula ou do Diu! É que isto mesmo aconteceu com uma sobrinha minha e até chamamos ao seu filho o ” filho do Diu”!

Porque convenhamos: sabendo todos que a Justiça não funciona nos meses de Verão, pois são meses em que todo o organismo está de férias e assim os tribunais trabalham a meio gás, é óbvio que ninguém se lembrará de praticar um crime nessa altura só para “lixar” o descanso do Juíz de turno e ficar ali em banho maria na “prisa” ou na “Judite”…Certo?

Assim como qualquer crime fiscal transita, qualquer multa fica por pagar, qualquer atraso à Segurança Social é para deferir e qualquer imposto por pagar é para esperar, porque todo o pessoal ainda tem direito a “estivar”, também a Grávida tem “direito” a esperar…não vá o seu direito colidir com o de “estivar” dos Médicos…

Assim sendo cabe nos espíritos mais informados o dever da precaução e não fazerem filhos que nasçam no Verão! É que, se assim for, verão como estes argumentos que hoje vi plasmados na televisão, descritos por jornalistas e profissionais de ocasião, não mais ocorrerão!

E eles que dizem (como se diz lá por cima)? Que é tudo falta de pessoal! O Pessoal é que assim diz sugerindo que a solução é, para combater o problema das férias, contratar mais pessoal. Médico e de Enfermagem, diz o Pessoal. E eu, boquiaberto e atarantado pergunto: mas como se eles estão de férias?

Tudo isto eu fiquei a saber porque, contra o que é meu costume e por isso até sou criticado, resolvi ver hoje um Telejornal. Isto é, andei de canal em canal porque no 1° quando está o “orelhas” mudo por uma questão higiênica e no 4° quando está a Judite por uma questão fonética! No 3° depende …

Mas que vi eu e que tanto me prendeu a atenção a ponto de mudar a ver se a notícia seria diferente ou, no mínimo, apresentada de maneira diferente? Ora, o que já vos disse: a redução dos períodos de atendimento a grávidas nos principais Hospitais, creio que de Lisboa pois parece que só os Lisboetas têm essa estranha mania de ir de férias.

É claro que depois lá vêm as triviais críticas da Direita: a redução do investimento público (bandeira da esquerda); a carga de impostos nunca vista (bandeira da esquerda); a degradação dos serviços públicos (bandeira de Esquerda ainda) e a necessidade de ser o privado a resolver o problema! Aqui a bandeira, claro que impossível, é mesmo da Direita!

Mas aqui resulta claro, embora a Direita não o diga, que para que tal seu desiderato fosse exequível, seria preciso que os Médicos nesse período estivessem de férias para o Público mas não para o Privado! Isto é: se estivessem no estrangeiro onde poderiam estar para…E em Portugal se nem para o Algarve poderiam ir?

Bom isto é tudo tão inverosímil e patético que eu me pergunto: para quê perder o meu rico tempo vendo estas e outras coisas, se elas insistem em ser um permanente atentado à minha inteligência e uma continua violência sobre a minha boa vontade e bonomia até?

De modo que, em modos de resumo, só posso aconselhar: “coisem” no Verão até à exaustão e façam filhos no Inverno para que não nasçam no Verão!!!

 

Standard

CADÊ VOCÊ, Sr. Dr. Prof. MARCELO?

Assim mesmo! Não lhe chamam apenas de MARCELO? É que nem de Presidente…!

Vexa foi sempre “tu cá tu lá” com o Povo que, no seu ingénuo admirar, gosta de gente assim, de verbo fácil e que esteja sempre de bem com Deus e com o diabo! E que dê as convenientes notas: hoje teve vinte de manhã mas à tarde só doze! O almoço não lhe deve ter caído bem…Mas amanhã terá doze de manhã, consequência do ontem, e vinte à tarde!

E esse “tu cá tu lá”, como se na casa de todos vivesse, traduziu-se em beijos, abraços e “selfies” sem fim…Nos incêndios foi quem veio pedir perdão pelas falhas do Estado depois de, sendo o Chefe desse mesmo Estado, o ter acusado de ter tido falhas! E veio exigir responsabilidades…para o Povo dormir descansado e com o seu boneco de peluche ao lado…

Da sua Direita sempre compreensão. Que nem sim que nem não! Nem pelo sacerdote nem pelo sacristão! E pensando sempre: depois verão…

Mas veio o inverno, veio a primavera e veio o verão e…nem sim nem não! No outono verão…

E logo a “titubiação” e, nos Professores, uma das suas “heterónimas” profissões, calou e foi indiferente ao sofrimento que sobre um dos seus heterónimos profissionais se abateu e que tanto o Nogueira entristeceu: essa mesma, a dos Professores! Mas não apenas sobre esta, também sobre uma outra: a da sua Família PPdista! É que ele (estrategicamente?) desapareceu! Nada com essa lista…

O Costa ameaçou demitir-se, ele ignorou e fê-lo pensando: será agora que ao meu leito essa encosta vem cair? Mas não, foi o Rio e num ruir…Ficou atarantado o Marcelo e sobre sua cabeça um cutelo: que faço com este inerte ser que daqui não quer sair? Ajuizadamente nada, pensou ele, e é o melhor…

“Dos resultados previstos saiu o que tendes visto…” já dizia o saudoso ZECA nos Índios da Meia Praia e o Marcelo ter-se-à também lembrado do ZECA após ver os resultados e terá pensado com os seus botões: com este Rio não alcanço qualquer mar…é que nem em miragens! Vou esperar então que o Costa dê com os costados à costa, cogitou ele…E desapareceu!

E todo o Povo se deu em perguntar: onde andará o Marcelo que se “escafedeu”? Para onde se terá evadido o antes ardido Marcelo, já que nem em Belém alguém o vê?   É que nem no heli do Rangelito foi para ver o ardido! Terá ido, qual Rei Mago, em peregrinação para onde o bom Jesus nasceu? Alguém escreveu até que terá sido afectado por  um “ Tranglomango” (Ventos Semeados)!

Mas eis que reapareceu e na Jonet compareceu! Não sabemos se deu, mas em dia da Eleição Europeia, que da sua esfera há muito que desapareceu, ele fez questão de na TV constatar a vergonha de uma abstenção que, da sua parte, não teve nenhum prévio e educativo avisar!

Mas o Povo, na sua ancestral sabedoria, pensa que “hum” ele há é “mouro na costa”, embora neste caso seja mais “marajá”! Os tronitroares e reverberares dos trovões à sua chegada não mais se ouviram e das “selfies” na Jonet só as das criancinhas que faziam por ela a vidinha! Uma desgraçadinha a utilizar o trabalho infantil…Ter-lhes-à algo pago ou foi só donuts e sumol?

Mas por onde andará ele que nem nas verbenas se vê? Ah: esteve em Oeiras na final da Taça e, depois de nas “fuças” do Sérgio a esfregar, ao Bruno F. passou a entregar para então, depois, rejubilar! Ele que é todo Sporting: às segundas, quartas e sextas é de um Sporting, o de Braga, e às terças, quintas e sábados é de outro Sporting, o de Portugal! O domingo é para descanso!

Será que está ansiosamente esperando e desesperadamente rezando para que cheguem os incêndios e ele, finalmente, possa realizar o seu sonho? Qual sonho? Ora, o de ser Bombeiro!

Do Reino…

P.S.- Mas, meu caro Marcelo, você já cansa…não acha?

Standard

TER CONFIANÇA!

A CONFIANÇA para mim, que toda a vida trabalhei em áreas ligadas às economias, e estou certo que por todos os economistas e mesmo empresários, é a principal variável de qualquer decisão económica.

É ela quem incentiva o consumo que por sua vez determina a produção e as consequentes importações e exportações e é também ela quem ajuda nas decisões de investimentos que, juntamente com o enunciado, proporcionam o crescimento económico.

Ainda nesta cadeia e sempre como consequência, surge o crescimento do emprego e logo mais impostos cobrados pelo Estado e menos despesas sociais e, ainda, mais redistribuição. A CONFIANÇA tanto em quem nos governa como nas Instituições Públicas e nos dados estatísticos oficiais é, portanto, e como é fácil intuir, o principal elo de uma cadeia que se quer estável e firme.

Ora foram estes os pressupostos que, se bem se lembram, Mário Centeno e toda a equipa de economistas que António Costa convidou para trabalharem o programa económico com que ele e o PS se apresentaram às últimas eleições, em 2015.

Se bem se lembram também, ainda em tempos da cruzada austeritária e da “TINA ( there is no alternative), tal programa económico mereceu a viva repulsa da PAF e de tudo o que era comentador arregimentado e mesmo de economistas instalados…

Mas, depois das peripécias que todos lembramos, Costa conseguiu, com o apoio Parlamentar dos seus aliados à esquerda, formar Governo e, sendo criada a chamada Geringonça, acabou com o maior mito da política portuguesa que era a impossibilidade de haver um Governo suportado por todas as Esquerdas (as radicais, como a Direita gosta de dizer…) e implementou mesmo, para grande irritação dos acima citados, o programa que tinha proposto, baseado no aumento do consumo proporcionado pela reposição de rendimentos e anulação de cortes.

A montanha era muito dura de escalar e os autênticos trabalhos de “Sisifo” não tardaram a surgir. Os escolhos eram mais que muitos, uma Banca deixada em estado decrépito para sanear, um défice que até alguns “portugueses” queriam penalizar e, ainda por cima, Centeno é acusado por um ilustre comentador e articulista desta praça, que se define como das Esquerdas, o Daniel Oliveira, ser o Centeno um “nabo em política que só estava no Governo para complicar a vida ao Costa”! Escreveu, escreveu mesmo (lembram-se daquela questão do Domingues que era para ser Presidente da Caixa e acabou por não ser?) e, da minha parte obteve uma imediata resposta: aquele meu texto que intitulei de ”Daniel, Um Noviço em Nabiças” (https://wp.me/p4c5So-LG).

Só que mais tarde, com a Economia a engrenar, as promessas sendo cumpridas e os compromissos com o exterior a serem honrados, o Centeno passou de repente a ser um bom político tendo até sido proposto para Presidente do Eurogrupo! Só poderão estar a brincar comigo, terá pensado o Daniel, e o comentador micro Mendes foi até mais longe: que só podia ser piada do 1 de Abril! No fim todos engoliram em seco e foi mesmo nomeado pelos seus pares Presidente do Eurogrupo!

E a Banca foi saneada, o défice começou a descer, a dívida também, o Rating da Republica a subir, o consumo a aumentar, os juros a caírem progressivamente, o desemprego a baixar, as receitas a subirem e as despesas a serem controladas. Portugal tornou-se um País na moda e um modelo de governação e exemplo a seguir no combate à crise.

De tal modo que Costa e Centeno foram a pulso conquistando a credibilidade perdida e criando mesmo uma certa aura na Europa. E começaram a ser ouvidos e respeitados e o País muito tem ganho com isso e as sondagens de aprovação de Costa, de Centeno, da Governação e da Geringonça continuam a mostrar-se amplamente positivas e esclarecedoras.

Assim, passadas as Eleições Europeias que Costa conseguiu que se transformassem num quase plebiscito à governação e num teste do qual os Partidos da Geringonça saíram com distinção tendo obtido praticamente o dobro dos deputados eleitos pela Direita (13 eleitos contra 7 não contando com o PAN), põe-se agora um especial ênfase no próximo acto eleitoral, este mais decisivo e importante: as Legislativas!

E todo o meu raciocínio aqui exposto conduz, como podem facilmente intuir, a uma
essencial pergunta: Merece ou não Costa e o seu Governo a nossa Confiança?

É perfeitamente natural haver questões políticas em que podemos estar em desacordo, que não concordemos com com determinadas posturas, com algumas decisões que poderemos considerar polémicas, pecando umas por excesso e outras por defeito e mesmo com alguns princípios para nós básicos e fundamentais dos quais nos custa muito prescindir e coisas que não foram contempladas nesta Legislatura e deveriam tê-lo sido.

Tudo isso é verdade mas, no essencial, o que é que eu penso, e tenho por certo que a grande maioria também assim pensa, que deveremos desejar de um Governo? Desejamos que haja Previsibilidade e Estabilidade! De modo que a pergunta é: e no essencial não estamos maioritariamente de acordo?

E a notícia, falando ainda de Confiança, é de que, muito embora a nossa Direita, sem qualquer sustentação fale em falhanço, em desmoralização e descontentamento generalizado, em artifícios e ilusionismos e as pessoas não confiam neste Governo “radical”, como afirma Cristas ( Rio nem diz nada porque nada tem para dizer…), a realidade teima em desmenti-la e a grande verdade é que muitos dos seus apoiantes e até militantes acham precisamente o contrário!

Eles acham que existe claramente confiança, que o Governo a tem sabido criar e muitos agentes económicos, Empresários e empregadores isso mesmo atestam. Como se costuma dizer: “contra factos não há argumentos…”. E sentem-se maioritariamente satisfeitos com os apoios, com o diálogo e com as medidas de carácter económico implementados por este Governo!

Então vamos ser nós Trabalhadores, Reformados e Aposentados, Funcionários Públicos, Pequenos e Médios Empresários, dos da Restauração ao Turismo e todos os demais, todos esses a quem este Governo trouxe mais dignidade e esperança que lhe vamos negar essa Confiança?

Eu tenho confiança em António Costa, no seu Governo e num futuro Governo também de Esquerda e de preferência com a Geringonça, sempre à Esquerda. E daqui a cinco meses é isso mesmo que vai estar em cima da mesa: Renovar a Confiança em  quem a mostrou merecer!

Nas últimas eleições votei em António Costa e na Geringonça! Tenho alguma razão para não o voltar a fazer? É claro que não!

Eu CONFIO!

Standard

O “PESTINHA” do COSTA!

Não deverá haver coisa mais deprimente do que um tipo cujo rosto e figura não nos inspiram qualquer desejo de sorrir pretender ter piada e que lhe achemos piada. Acontece isso com Paulo Rangel e, pior ainda, qualquer desejo seu de pretender que lhe achemos graça resulta inevitavelmente no contrário e, ainda, no nosso inevitável desabafo: perdoai-lhe…sabe ele o que diz? O RAP isso mesmo retratou naquela curta rábula do “Fake Candidate”!

Anda em maré de azar o nosso sempre inefável Rangelito pois o seu efervescente cérebro, em chegando a este acto eleitoral, a ele chegou possuído de um muito perigoso vírus, eu diria uma “peste” mesmo, trazidos por um individuo trapaceiro e ilusionista e por um “compaire”  bem à sua altura, que a todos aldrabou e a ele e ao seu “Fake” PSD completamente desprogramou, a ponto dele e do seu “Fake” Partido Social Democrata terem desatado a fazer tudo aquilo que esse malabarista pretendia! O COSTA e o Centeno, esses mesmos, os nomes do vírus e da “peste”…

É que finalmente não restam quaisquer duvidas: o COSTA é mesmo uma “peste”, coisa muito ruim, um pesadelo até para os nossos lados, confessa ele e, pasme-se, com tendências a espalhar-se mesmo por essa Europa afora…

Mas fez mais esse mafarrico manobrador de cérebros “ Fakes” e anquilosados: dada a manifesta falta de jeito do Rangel em fazer de Trump, o “pestinha” do Costa terá sugerido ao seu amigo Rio para dizer ao Rangel que deixasse de ser lorpa e chamasse à campanha todos aqueles anquilosados não “fakes” mas a sério, a saber: o Passos, o último a chegar à triste realidade, o Aníbal, que já antes a tinha denunciado, a Manuela, também agora convertida e o Zé Manel, que não pode desprezar apesar de ter chamado o Meneses que lhe é muito chegado! E à chegada do Meseses…o Povo riu-se…

Mas o Rangel ficou tão embevecido com tão generosa lembrança, que o chefe Rio lhe garantiu ser de sua lavra, que os chamou a todos! Mas que vieram eles dizer? Aquilo que o “pestinha” Costa queria que dissessem: que não havia sucesso nenhum, que as contas estão todas enfeitiçadas, que crescimento, desemprego, défice zero etc etc é tudo fruto de um ilusionismo barato e tudo desmontável! Por quem? Não disseram…E o rasteiranço do “pestinha”Costa foi tão bem dado que, logo de entrada, o Passos conseguiu o impensável: fazer com que nós, já um pouco esquecidos dados os ventos que passaram a soprar do lado bom, nos lembrássemos dos seus horrorosos tempos e a plenos pulmões gritássemos um audível “Desaparece, mas é…”

O problema meu pigmeusinho da mamã é o Instituto Nacional de Estatistica, é o Ecofin, a Comissão Europeia, o ICS, o ISCTE, as Sondagens, a Fitch, a Moddy’s e essa trupe toda, também toda ela manobrada por esse manipulador nato e já tão conceituado nome por essa Europa, que até já consta pronto estar para ocupar o lugar do David Copperfield! Ah: Juros da Dívida a 10 anos abaixo de 1%? Isso não passa de ilusão…diz o Passos! Bem-vindos à Campanha, acrescento agora! E o Povo tem-se rido à brava…

Eu até acho que o Rangel acha que há um “complot” do “pestinha” contra ele, ele que é um distinto vice-presidente do PPE! Não é que um outro traidor, assegura o Rangel, o Macron, que também já se rendeu ao Costa, viu nele um grande aliado para desbancar o PPE da chefia do Parlamento Europeu e da Comissão? Eu sei que a coisa ainda é embrionária, diz ele, mas…que anda este “pestinha” a engendrar por essa Europa que até o meu grande amigo e patrocinador Moedas já é todo elogios para o “pestinha”? Que se passa? Já sei: o Moedas quer ficar e eles querem-me é desbancar a mim também, pois sabem do meu valor e da minha valentia …

Você, Rangelinho da mamã, você anda assim em modos que apoplético e eu também acho que não é para menos. É que todo o mundo já topou que você chama “Fakes” aos outros para tentar esconder o quanto “fake” você é! Com que então pertence e é candidato de um Partido Social Democrata! Mas a que família política pertence então? À Esquerda? Não, à Direita! E você e os seus colegas dirigentes acham-se o quê? De Direita, é óbvio! E os militantes? Idem, idem aspas… E são Sociais Democratas? Saberão ao menos o que isso é? São “Fakes”, vocês sim…

Vocês utilizam tudo, mas mesmo tudo, mesmo o que é manifestamente anti ético e mesmo ilegal para fazer campanha, pois são movidos pelo desespero de não terem nada de útil para dizer que consiga aliviar os sinais evidentes das sondagens. E lá chamam o recorrente Sócrates, o sempre eterno Sócrates, pois ele é a alma deste desgraçado PS, não restam dúvidas para vocês, e só não vê quem não quer e tudo isso porquê? Porque ele é o responsável por tudo: desde o rombo da PT ao colapso do BES, da fracassada OPA da Sonae ao insucesso da Copa, da Lena e do prima do primo e também do enorme golpe que o Berardo deu nos Bancos Caixa, BCP e Novo Banco!

Mas será mesmo ele o responsável? O micro Mendes e o “lobinho” Xavier dizem que sim e que tem que ir preso! Mas os Administradores da Caixa, do BCP e do BES à altura, uma cambada de inocentes boas pessoas, não serão eles? Não, pois esses são precisamente boas pessoas…

Dizer-se que a nossa Direita é estúpida é muito redutor! É que ela é muito mais que isso: é arrogantemente uma realidade que insiste em a tudo recorrer para alcançar os seus fins, fins esses que ela reclama serem sua e apenas sua prerrogativa: a de manter os cordelinhos dos poderes…

E, para isso manterem, tudo para ela é legitimo…até ser-se absurdamente “rapazinho”…

Standard

O “PESTINHA” do COSTA!

Não deverá haver coisa mais deprimente do que um tipo cujo rosto e figura não nos inspiram qualquer desejo de sorrir pretender ter piada! Acontece isso com Paulo Rangel e, pior ainda, qualquer desejo seu de pretender que lhe achemos graça resulta inevitavelmente no contrário e, ainda, no nosso inevitável desabafo: perdoai-lhe…sabe ele o que diz? O RAP isso mesmo retratou naquela curta rábula do “Fake Candidate”!

Anda em maré de azar o nosso sempre inefável Rangel pois o seu efervescente cérebro, em chegando a este acto eleitoral, a ele chegou possuído de um muito perigoso vírus, eu diria uma “peste” mesmo, trazidos por um individuo trapaceiro e ilusionista e por um “compaire”  bem à sua altura, que a todos aldrabou e a ele e ao seu “Fake” PSD completamente desprogramou, a ponto dele e do seu “Fake” Partido Social Democrata terem desatado a fazer tudo aquilo que esse malabarista pretendia! O COSTA e o Centeno, esses mesmos, os nomes do vírus e da “peste”…

É que finalmente não restam quaisquer duvidas: o COSTA é mesmo uma “peste”, coisa muito ruim, um pesadelo até para os nossos lados, ele confessa e, pasme-se, com tendências a espalhar-se mesmo por essa Europa afora…

Mas fez mais esse mafarrico manobrador de cérebros “ Fakes” e anquilosados: dada a manifesta falta de jeito do Rangel em fazer de Trump, o “pestinha” do Costa terá sugerido ao seu amigo Rio para dizer ao Rangel que deixasse de ser lorpa e chamasse à campanha todos aqueles anquilosados não “fakes” mas a sério, a saber: o Passos, o último a chegar à triste realidade, o Aníbal, que já antes a tinha denunciado, a Manuela, também agora convertida e o Zé Manel, que não pode desprezar apesar de ter chamado o Meneses que lhe é muito chegado! E à chegada do Meneses…o Povo riu-se…

Mas o Rangel ficou tão embevecido com tão generosa lembrança, que o chefe Rio lhe garantiu ser de sua lavra, que os chamou a todos! Mas que vieram eles dizer? Aquilo que o “pestinha” Costa queria que dissessem: que não havia sucesso nenhum, que as contas estão todas enfeitiçadas, que crescimento, desemprego, défice zero etc etc é tudo fruto de um ilusionismo barato e tudo desmontável! Por quem? Não disseram…E o rasteiranço do “pestinha” Costa foi tão bem dado que, logo de entrada, o Passos conseguiu o impensável: fazer com que nós, já um pouco dele esquecidos dados os ventos que passaram a soprar do lado bom, nos lembrássemos dos seus horrorosos tempos e a plenos pulmões gritássemos um audível  “desaparece, mas é”! É preciso ter muita lata…

O problema meu pigmeusinho da Foz é o Instituto Nacional de Estatistica, é o Ecofin, a Comissão Europeia, o ICS, o ISCTE, as Sondagens, a Fitch, a Modd,s (falta o ípsilon, eu sei!) e essa trupe toda, também toda ela manobrada por esse manipulador nato e já conceituado nome por essa Europa e mundo fora, que até pronto para ocupar o lugar do David Copperfield está! Ah: Juros da Dívida a 10 anos abaixo de 1%? Isso não passa de ilusão…diz o Passos! Bem-vindos à Campanha, acrescento agora! E o Povo tem-se rido à brava…

Eu até acho que o Rangel acha que há um “complot” do “pestinha” contra ele, ele que é um distinto vice-presidente do PPE! E não é que um outro traidor, assegura o Rangel, o Macron, também já se rendeu ao Costa e viu nele um grande aliado para desbancar o PPE da chefia do Parlamento Europeu e da Comissão? Eu sei que a coisa ainda é embrionária, diz ele, mas…que anda este “pestinha” a engendrar por essa Europa que até o meu grande amigo e patrocinador Moedas já é todo elogios para o “pestinha”? Que se passa? Já sei: o Moedas quer ficar e eles querem-me é desbancar a mim também, pois sabem do meu valor e da minha valentia, assegura ele …

Você, Rangelinho da mamã e desta nacão valente, você anda assim em modos que apoplético e eu também acho que não é para menos. É que todo o mundo já topou que você chama “Fakes” aos outros para tentar esconder o quanto “fake” você é! Com que então pertence e é candidato de um Partido Social Democrata! Mas a que família política pertence então? À das Esquerdas? Não, às Direitas! E você e os seus colegas dirigentes acham-se o quê? De Direita, é óbvio! E os militantes? Idem, idem aspas… E são Sociais Democratas? Saberão ao menos o que isso é? São “Fakes”, vocês sim…

Vocês utilizam tudo, mas mesmo tudo, mesmo o que é manifestamente anti ético e mesmo ilegal para fazer campanha, pois são movidos pelo desespero de não terem nada de útil para dizer que consiga aliviar os sinais evidentes das sondagens. E lá chamam o recorrente Sócrates, o sempre eterno Sócrates, o grande responsável pela Vossa desgraça, não restam dúvidas para vocês e só não vê quem não quer e tudo isso porquê? Porque ele é o responsável por tudo: desde o rombo da PT ao colapso do BES, da fracassada OPA da Sonae ao insucesso da Copa, da Lena e do prima do primo e também do enorme golpe que o Berardo deu nos Bancos Caixa, BCP e Novo Banco! E qual é o seu Partido? o PS, está mesmo a  ver-se e só não vê quem não quiser ver…

Mas será mesmo ele o responsável? O micro Mendes e o “lobinho” Xavier dizem que sim e que tem que ir preso! Mas os Administradores da Caixa, do BCP e do BES à altura, uma cambada de inocentes boas pessoas, não serão eles? Não, pois esses são precisamente boas pessoas…

Dizer-se que a nossa Direita é estúpida é muito redutor! É que ela é muito mais que isso: é arrogantemente uma realidade que insiste em a tudo recorrer para alcançar os seus fins, fins esses que ela reclama serem sua e apenas sua prerrogativa: a de manter os cordelinhos dos poderes…

E, para isso manterem, tudo para ela é legitimo…até ser-se absurdamente “rapazinho”…

Standard

ESTE “DON” CLEMENTE NÃO TEM JEITO MESMO!

Este título fui-o buscar àquela célebre canção do Adoniran Barbosa acerca do Nicola e do Bairro da Bexiga! É que, tal como o Nicola, não leva jeito mesmo!

É que o “Don” não acerta uma! Se fala da sexualidade o seu chefe de imediato o contradiz! Se fala das mães solteiras idem, idem aspas! Se fala da sua ausência de compaixão, lá vem o Francisco que até é Jesuíta pô-lo na linha! E não aprende…

Quer dizer: não aprende ou não obedece?

Devo referir que apesar de não me considerar Católico, e de facto não sou, considero-me, tanto pela educação que levei, como com o que ouvi, li e aprendi, um Cristão ( enquanto seguidor dos ensinamentos de Jesus Cristo) nada alinhado e, desejo sublinhar, não sou anti clerical! Respeito muito quem acredita mas eu, como dizia Atahualpa Yupanki, também sou “ dudoso”!

Não me vou alongar com esta nova diatribe do “Don”, que talvez por assim ser apelidado pensará ser imune à crítica e, pior ainda, ter direito ao disparate e à agressão intelectual a todos os que pensam e assumidamente sabem o que é isso da democracia e da cidadania, ao contrário dele que, sabemos lá porque cargas de água, considera o “ Basta” do tal Ventura uma referência!

E porque a memória escrita é a única que nunca se apaga, eu vou reproduzir um texto que acerca do dito “Don” publiquei nos inícios de 2018! Para quem leu para rememorar e quem não leu para apreciar! Aqui vai: Carta Aberta ao Cidadão Manuel Clemente – 09/02/2018!

“…Pois que isso de “Don” e “Sir” é mais para Espanhóis e Ingleses!

Quero, antes de mais, contar-lhe uma coisa da qual, eu presumo, deve ter ouvido falar: quando eu era pequenino e mesmo já jovem, lá da minha aldeia ouvia as pessoas dizerem que os Comunistas comiam criancinhas, mas pior ainda, logo ao pequeno almoço! Tem lembrança?

É que a verdade é que eu nunca ouvi ninguém, ou ligada ao regime da altura ou da própria Igreja Católica, isso desmentirem. Mas eu também desde pequeno sabia que tal não era verdade. Porquê? Porque o meu Pai, que era Guarda Fiscal, foi para o Alentejo profundo em princípios dos anos cinquenta, e nós ainda pequeninos com ele, e tal não verificou! O que constatou foi precisamente o contrário: dificilmente comiam…e eram Comunistas!

Mas, muito mais tarde, vim e viemos a saber que afinal, pois…

Isto para lhe dizer, Senhor Manuel Clemente, que V.Exª, que parece que escreve livros e mostra ser pessoa culta e dizem que Filósofo até, quando sai do seu pequeno mundo, quando o seu pensamento extravasa para aquilo que não sabe, só diz asneiras! Sim, asneiradas surreais mesmo!E não mostra ter sentido da penitência…E eu também me lembro, quando era pequeno também, que tínhamos que ir confessar-nos por “pensamentos, por palavras, por actos e omissões”.Lembra-se? Bem prega Frei Tomás, também se dizia lá pela aldeia!

E porquê? Porque V.Exª, que parece que jurou votos de castidade, que sabe V.Exª de sexo? Ficou-se pela leitura, não foi? Porque V.Exª, que parece que jurou ser celibatário e abstencionista em relação a sexo, que sabe V.Exª de casamento, de matrimónios, de casais, de filhos, de desavenças, de incompatibilidades várias, de violências até, para acerca disso perorar e, pior ainda, aconselhar e mesmo ditar lei? Que sabe você? Que experiência tem? É que nem sequer a da “supernanni” que, tão jovem ainda, parece que queria ensinar casais a educar filhos pequenos!

Quer dizer, segundo bem percebi: uma esposa casou pela Igreja, ponto um. O marido tinha sido um grandessíssimo filho da mãe para ela e ela, não aguentando mais tanta irresponsabilidade, tanto desamor e tanta violência, mesmo física, pediu a separação, o divórcio, ponto dois. Aceite e consumado, dando um tempo de reserva e sentindo-se ainda viva para a vida, partiu para um novo matrimónio, ponto três. Pois até ele, o marido, de tão arrependido que estava, até achou a coisa mais que natural, mas a Igreja não! Porquê?

Porque o matrimónio é indissolúvel, diz a Igreja. Sendo, portanto, o mesmo indissolúvel, em terminado fica a pessoa sujeita à infelicidade! Ou, na sua tese enquanto “Don”, à abstinência! À anti- naturalidade. Faz isto algum sentido? Será Você humano?

Isto é ficção e é um exemplo apenas , mas um exemplo que, toda a gente sabe, existe por aí às carradas. Abstinência enquanto os doutos sabedores da misericórdia Divina, da vida do além e dos ensinamentos de Jesus Cristo, um Cristo que até Maria Madalena perdoou e mandou em paz? Abstinência quando até o Papa Francisco os manda ser mais contidos, caritativos e compreensivos? Faz isto algum sentido?

Eu sei que o Cidadão Manuel Clemente, embora seja cidadão, não consegue despir a farda do “Don”. É um problema seu, meu caro,. É um problema seu.

Como é um problema seu o de, enquanto os Leigos da sua Igreja lutam contra a pobreza, contra a exclusão e tudo fazem para ajudar essas pessoas para quem a vida foi e é madrasta, se posicionar do lado dos poderosos e mandar palpites, políticos até, contra quem deseja um mínimo de dignidade no seu trabalho e anseia por melhores salários e particularmente o mínimo. Agente ouve e lê, meu caro “Don”.

Todos nós os que temos como sentido da Liberdade, o vivermos a vida que entendermos desde que essa nossa Liberdade não colida com a de qualquer semelhante, não aceitamos nem nunca conseguiremos entender esses vossos dogmas, dogmas anti-naturais porque agarrados a conceitos quase medievais, que apenas servem para restringir essa tal Liberdade, a Liberdade a que todos e qualquer um têm direito. E à Felicidade!

O senhor Cidadão Manuel Clemente tem direito a toda sua reacionarice, tem todo o direito e faz parte da sua Liberdade. Mas quando a sua Liberdade colide com a minha, com a nossa e de toda a gente, a de sermos Felizes ou procurarmos a nossa Felicidade, desculpe, e mais, cumprirmos a missão que nos foi destinada na passagem por este mundo, a de melhorarmos e continuarmos a vida da espécie humana, o Senhor está a mais e não pode ser levado a sério!

Ao menos, caro “Don”, siga o pensamento do Papa! É o mínimo que lhe rogamos…”

E mais não acrescento

Standard